Comprar casa é uma decisão muito importante e que deve ser tomada de forma consciente e ponderada. Deve ter em atenção os mais diversos parâmetros

Uma das primeiras dúvidas que surgem nesta fase é o tipo de imóvel que deve comprar: em retoma de banco, na planta, novo ou usado. Antes de dar o primeiro passo, conheça as diferenças destes tipos de imóvel.

Imóvel de banco

Os imóveis de banco são a solução ideal para quem quer comprar casa a um valor mais em conta – pois a aquisição é feita através de um leilão, em que o imóvel possui um preço mínimo de licitação, muitas vezes, mais reduzido que o valor real de mercado –, com financiamento até 100% do valor total da habitação, spreads mais atrativos, prazos alargados e redução de custos e encargos.

O processo de compra deste tipo de imóvel tem por base uma boa pesquisa. Se está a ponderar em adquirir um imóvel do banco, deve consultar as ofertas disponíveis das várias instituições financeiras, Segurança Social ou em websites para compra e venda de imóveis, como o Imovirtual. Depois da pesquisa, deve visitar as habitações que despertaram o seu interesse, falar com o banco e avançar com a compra.

 

Imóvel na Planta

Ao comprar um imóvel na planta – ou em fase de construção -, está a comprar, na verdade, uma promessa de construção e entrega da habitação.

Estes tipos de imóvel são cada vez mais populares em Portugal pois apresentam custos de compra mais reduzidos e o grau de valorização é elevado. Em alguns casos, existe a possibilidade de o pagamento ser feito em parcelas divididas entre o período de compra até à compra do imóvel.

Nestes casos, deve começar por fazer uma análise de mercado da região onde pretende comprar casa e compará-la com o valor que lhe é apresentado pelo imóvel na planta. Posteriormente, e caso o investimento seja do seu interesse, deve fazer a reserva da habitação, proceder à assinatura do contrato – geralmente, com mais um sinal no valor de 10% do valor total do imóvel – e, após o término da construção, efetuar o restante pagamento.

Uma das vantagens ao adquirir estas habitações, durante a fase de construção, pode participar no processo de decoração interior, a disposição das divisões, os materiais, acabamentos, funcionalidades e outras características.

O principal desafio é imaginar o resultado final do seu investimento e aguardar que a obra termine – o que pode levar vários meses, mais do que os previstos. Para além disso, a construção pode sofrer imprevistos, resultando em problemas que exijam remodelações futuras ou até impossibilitando o acabamento e entrega da habitação – a empresa de construção pode entrar em falência, por exemplo.

 

Imóvel Novo

Um imóvel novo, seja ele um apartamento ou uma moradia, é uma habitação que nunca teve inquilinos e cujas obras já estão completamente finalizadas, encontrando-se pronto a habitar.

Normalmente, este tipo de imóveis possui um grau de valorização mais elevado, assim como o seu valor de compra.

Esta opção é ideal para quem não pretende sujeitar-se a obras ou esperar que inquilinos anteriores saiam da casa para poder habitá-la, e é mais vantajosa no sentido em que requer menos burocracia, quer no âmbito da concretização do negócio, quer ao nível do financiamento.

 

Imóvel Usado

Ao contrário dos novos, os imóveis usados são casas que já foram habitadas anteriormente - ou que se encontram ainda habitadas. Regra geral, o valor destas habitações é mais baixo.

Por vezes, dependendo do estado do imóvel, é necessário fazer algumas remodelações. Mas, uma vez que o investimento que tem de fazer para comprar a casa é menor face à aquisição de uma casa nova e pronta a habitar, tem mais flexibilidade económica para as alterações que deseja e maior controlo dos acabamentos, qualidade dos materiais, disposição e funcionalidades da habitação.

Neste tipo de imóvel, o financiamento e as questões burocráticas são mais morosas e complexas, exigindo um suporte de custos iniciais do contrato por parte dos compradores.

Aqui, é necessário perceber se há disponibilidade para aguardar até que a casa fique pronta para habitar, quer pelas obras, quer pela saída dos atuais inquilinos. Caso contrário, a melhor opção poderá ser comprar um imóvel novo.

 

Agora que conhece os diferentes tipos de imóvel, apenas tem de optar pela solução que mais se adequa às suas necessidades e preferências, tendo em conta as características que cada um apresenta.