Como escolher uma placa de cozinha

04 junho 2022

De Ana Catarina

Como escolher uma placa de cozinha

Como escolher uma placa de cozinha

Na hora de renovar a cozinha e de fazer obras, há muitas famílias que dão por si num dilema: fogão ou placa? A escolha é sem dúvida difícil, já que implica considerar os aspetos estéticos, mas sobretudo o orçamento, a praticidade e utilização do eletrodoméstico. Sem dúvida de que as placas de cozinha são mais fáceis de incorporar na decoração da divisão, mas em contrapartida assumem-se como um investimento bem mais elevado do que um fogão, já que além da placa que só por si já é cara, terá ainda de investir num forno à parte.

Atualmente, existem no mercado os diferentes tipos que passamos a explicitar:

Pode interessar-lhe: Como poupar na fatura da luz

Placas de Indução

Bem mais fáceis de limpar e higienizar do que um fogão, as placas de indução funcionam a eletricidade e são rápidas a cozinhar alimentos. Permitem um controlo maior da temperatura, são bastante económicas no que toca a eficiência energética e maior segurança para quem tem crianças em casa. Em contrapartida são mais caros em comparação com os outros tipos de placas.

Antes de investir numa placa de indução também é importante que tenha em conta o seu enxoval. É que as placas só funcionam com material de cozinha magnetizável, sendo incompatíveis com utensílios de cerâmica e alumínio. Recomenda-se pois, a utilização de utensílios de aço esmaltado, ferro fundido e alguns de aço inoxidável. Em alguns casos é possível verificar se determinado tacho ou frigideira são adequados a indução, recorrendo à etiqueta dos produtos. que revelam um símbolo de indução.

Placas de vitrocerâmica

Esteticamente até são semelhantes às placas de indução, mas o seu sistema e características são diferentes. Funcionam a eletricidade, através de uma resistência elétrica que faz o aquecimento por baixo e transmite o calor ao recipiente que está em cima. Demoram tempo a aquecer, mas também a arrefecer, fazendo com que o calor residual termine o processo de cozedura dos alimentos. Em contrapartida, consegue encontrá-las a um preço bem mais acessível do que o tipo anterior. De referir que as placas de vitrocerâmica possibilitam a cozedura dos alimentos com qualquer tipo de utensílio dispensando, por isso, panelas ou tachos específicos.

Placas a gás

Esta é a melhor opção para quem gosta de manter os costumes de cozinhar com o fogo. Tal como o próprio nome indica, ao contrário dos dois tipo anteriores, o sistema desta placas utiliza o gás como fonte de energia. São semelhantes ao topo de um fogão, possuindo queimadores que permitem fazer uma regulação do calor de uma forma mais simples. Com este tipo de equipamento é possível utilizar qualquer material que seja resistente ao fogo como o fero, inox ou alumínio. A nível de preço, as placas a gás costumam sair mais em conta do que as placas de indução e vitrocerâmica.

Agora que já conhece os diferentes tipos de placa já pode fazer uma escolha mais informada e determinar qual é a melhor opção para a sua família.

Ana Catarina Autor Imovirtual

Ana Catarina é a miúda das tendências. Gosta de ficar em casa a perder-se pelas páginas de um livro, mas também não dispensa um café tardio com os amigos. Está sempre à procura do último grito em Lifestyle para revelar no Blog do Imovirtual.

Também lhe pode interessar

  • Mudar de casa: dicas para organizar a mudança
  • O que é o Hygge e como o levar para dentro de casa
  • Guia para escolher as suas lâmpadas

Ultima actualização: 04 junho 2022

Partilhar