Leia as melhores dicas para ter o melhor seguro de vida

16 novembro 2020

De imovirtual

Leia as melhores dicas para ter o melhor seguro de vida

Contratar um seguro é um daqueles custos que se prolonga no tempo, de que ninguém gosta, nem tão pouco quer resgatar, pois isso significa que algo correu mal. Falamos, por exemplo, do seguro do carro, do seguro contra incêndios ou, em última instância do seguro de vida. É que resgatar um seguro destes é sinal de que se teve um acidente de viação, que a habitação foi alvo de um incêndio ou que se teve um qualquer acidente ou doença que provocou invalidez ou até a morte! 

No entanto, ter um seguro é a melhor forma de se ultrapassar financeiramente um qualquer imprevisto ou, em último caso, garantir a segurança financeira dos descendentes. 

Como se sabe, para se contratar um crédito à habitação as instituições bancárias exigem um seguro de vida, muitas vezes propostos pelo próprio banco ou contratado a uma qualquer outra companhia de seguros. 

 

Saiba que tipos de seguro de vida há

Neste particular, podemos definir dois tipos de cobertura para os seguros de vida: o risco de morte e o risco de sobrevivência, embora possa também ser contratado um seguro misto, que engloba, no mesmo seguro, as duas vertentes e/ou acrescentar ainda outro tipo de coberturas como o risco de acidente, invalidez ou desemprego.  

Assim, antes de escolher o seguro de vida, o segurado deve fazer uma pesquisa profunda do mercado, sabendo que existem três modalidades: 

Risco de Morte

A seguradora entrega aos beneficiários do seguro de vida o montante acordado previamente em caso de morte do segurado. Nos casos dos seguros de vida que são feitos à conta do crédito à habitação, a instituição bancária onde foi feito o prémio é o beneficiário. 

Risco de Vida

Nestes casos a seguradora paga o valor acordado no final do prazo do seguro. 

Misto

Estão a tornar-se, rapidamente, os seguros de vida mais comuns e conjugam os dois tipos de seguro descritos anteriormente. 

Sabemos que os seguros de vida não são todos iguais, pois podem variar muito em termos de coberturas e também em termos de exclusões.  

 

Tipos de cobertura

Assim, há dois tipos de cobertura, que permitem assegurar a estabilidade financeira de uma família em dois casos concretos: 

Morte

Neste caso, é atribuída uma compensação de um determinado capital em caso de morte da pessoa segura. O capital, definido em contrato, é entregue aos beneficiários que são nomeados na apólice, sendo que em caso de não existir esta nomeação avançam os herdeiros legais. Se se tratar de um seguro de vida associado a um crédito habitação, será o banco (beneficiário irrevogável) a receber a compensação e se sobrar algum capital os restantes beneficiários. 

Invalidez

Esta é uma cobertura cada vez mais valorizada. O segurado pode não morrer, mas mesmo assim ficar numa situação financeira muito sensível. A invalidez pode ser absoluta e definitiva ou total permanente. Nestes casos, o melhor é assegurar sempre a total permanente já que é mais abrangente e pode realmente assegurar todos os casos de invalidez (o valor a pagar é mais alto, mas, feitas as contas, compensa sempre). 

Como escolher o melhor seguro de vida

No momento de optar por um seguro de vida deve ter em conta: 

  • O melhor prazo, ajustando o período de tempo do seu seguro de vida às necessidades do seu agregado familiar sem prejudicar a estabilidade financeira;  
  • Determinar a cobertura necessária, pois quanto menor for o rendimento dos beneficiários do seguro de vida, maior deverá ser a cobertura associada; 
  • Conhecer toda a oferta disponível, fazendo uma pesquisa de mercado e usando simuladores, tal como o disponibilizado pela Deco Proteste; 
  • Estar atento, lendo cuidadosamente todas as cláusulas do seguro de vida.  

Veja também:

Ultima actualização: 16 novembro 2020

Partilhar