5 erros cometidos na venda de uma casa

10 maio 2021

De Alexandre Luís

5 erros cometidos na venda de uma casa

Erros cometidos na venda de uma casa

O processo de venda de uma casa pode ser moroso e complexo: papelada, burocracia, visitas dos potenciais compradores, ponderação de propostas, são algumas das etapas que fazem parte desta jornada. Existem alguns erros que os proprietários de imóveis (e os profissionais contratados) têm tendência a cometer na hora de colocar um anúncio no Mercado Imobiliário. Por isso, se está a pensar em vender a sua casa, reunimos nesta lista alguns dos descuidos que mais acontecem aos vendedores de habitações, para que os evite, garantindo assim o sucesso do negócio.

 

Ignorar as obras necessárias

Pode parecer desnecessário consertar uma casa que deixará em breve, mas a verdade é que isso pode ajudá-lo a encontrar um comprador mais facilmente. Antes de venderem o seu imóvel, alguns proprietários acabam por ignorar eventuais obras que possam ter de ser feitas à habitação, na esperança de conseguirem vendê-la mesmo assim. Por vezes, tratam-se apenas de reparações bastante superficiais e económicas, mas que podem melhorar a Avaliação do imóvel e agilizar o processo de venda.

 

Não apostar no home staging

Na venda de imóveis em que os proprietários ainda residem na casa, é comum que os Consultores Imobiliários aconselhem a descaracterização do espaço: retire todas as peças com valor sentimental como molduras de fotos, itens com referência clubística, imans de viagem, etc. É importante minimizar a quantidade de bugigangas na habitação a fim de a preparar para visitas. 

A esta técnica dá-se o nome de home staging. O objetivo é garantir que os potenciais compradores não se distraiam com as recordações pessoais dos proprietários e possam sentir que aquele pode vir a ser o seu lar. Além disso, ao organizar os itens está também a garantir uma visão mais generalizada e abrangente do imóvel, já que isso dará a sensação de que as divisões serão maiores.

 

Utilizar fotos inadequadas nos anúncios

As fotografias são uma das ferramentas principais para o sucesso da venda de um imóvel. Por isso é importante apostar em imagens de qualidade, atrativas e realistas. Exemplificando, ao tirar uma fotografia a uma sala com bastante luz pode ajudar a que a divisão a parecer espaçosa.

É Consultor Imobiliário? Saiba como melhorar as fotografias dos seus anúncios aqui

 

Evitar contratar um Consultor Imobiliário

Os proprietários que vendem casas em nome individual terão muito mais dificuldade em enfrentar sozinhos todo o processo, incluindo burocracias, do que aqueles que escolhem ser guiados por um profissional do Imobiliário, qualificado e conhecedor dos procedimentos do Mercado. Além disso, é comum que os vendedores privados inflacionem os preços, o que resulta em expetativas falhadas, ou pelo contrário, acabem a vender um imóvel por um preço mais baixo do que aquele que está estabelecido pelo mercado. Assim, é importante contratar um Consultor Imobiliário na hora de vender o seu imóvel para garantir que todo o processo corre sobre rodas.

 

Subestimar os custos associados ao processo

Desengane-se quem pensa que não existem custos associados à venda de um imóvel, mas apenas à compra. Os proprietários estão sujeitos a um conjunto de taxas e comissões que devem ser avaliadas antes de colocarem a casa no Mercado Imobiliário. Senão vejamos:

  • No caso de quem contrata um Consultor Imobiliário, pode contar com o pagamento de uma comissão no fim do negócio, que pode variar entre os 5% e os 8%.
  • Quem escolhe fazer a venda privada, tem de contratar um técnico para fazer a avaliação do imóvel, um serviço que ronda em média os 300€, e que já vem incluindo no pacote de contratação de uma Agência Imobiliária, por exemplo.
  • Dependendo da situação do proprietário, poderá vir a ter de fazer o pagamento das mais-valias em sede de IRS.
  • A quem tem Crédito à Habitação ser-lhe-á cobrado um Distrate da Hipoteca pelo banco, que pode variar entre os 100 e os 200 euros
  • Eventuais custos com certidões como: Certificado Energético (28€ a 65€), Ficha Técnica do Imóvel e Licença de Utilização, Certidão Predial permanente atualizada (20 euros na Conservatória ou 15 euros, se online); Caderneta Predial (10 euros ou gratuitamente online, através do Portal das Finanças).

Alexandre Luís Autor Imovirtual

Também conhecido como 'O Consultor'. Pode encontrá-lo a consultar o último estudo de mercado. Não tem talento para vender, mas sabe tudo sobre Imobiliário. Fala sobre questões relacionadas com o tema no Blog do Imovirtual.

Veja também

Ultima actualização: 11 agosto 2021

Partilhar