Saiba as diferenças entre Crédito Consolidado e Crédito Pessoal

15 outubro 2020

De imovirtual

Saiba as diferenças entre Crédito Consolidado e Crédito Pessoal

Na sociedade em que vivemos o recurso ao crédito bancário é uma opção tomada por muitas famílias e particulares no sentido de poderem adquirir determinados bens, sejam casas, viagens ou eletrodomésticos, entre tantos outros. No entanto, quando precisam de um crédito nem todas as pessoas sabem a diferença entre Crédito Pessoal e Crédito Consolidado. Expliquemos então o que é um e outro, para que melhor possa fazer as suas escolhas.

O Crédito Pessoal

O Crédito Pessoal (ou também chamado de empréstimo pessoal) corresponde a um produto financeiro criado para adiantar uma determinada quantia que poderá ser utilizada para financiar múltiplas situações: despesas de primeira necessidade (saúde, educação, mobiliário para habitação, eletrodomésticos para habitação, automóvel), despesas de segunda necessidade ou de luxo (férias ou viagens, lazer, motos e motociclos) ou despesas eventuais (pagamento de impostos, multas e coimas, casamento, consertos em habitação ou automóveis).

Assim, o Crédito Pessoal é o indicado para quem precisa de dinheiro rápido, uma vez que na maioria dos casos o dinheiro está disponível em menos de uma semana. Para além disso, é também o mais indicado para quem pretende um serviço que exija poucas garantias. Isto porque, para ter acesso a um crédito pessoal não precisa de dar uma garantia real, como um automóvel ou uma casa, por exemplo.

Obviamente, dependendo do montante em causa, a instituição bancária analisará a situação financeira do candidato ao crédito, tendo em conta alguns requisitos importantes que garantam que irá conseguir honrar o compromisso do pagamento, nomeadamente: a situação laboral, não ter cadastro no Banco de Portugal ou mostrar garantias (como uma taxa de esforço até 40%/50%, entre outras).

No que diz respeito a vantagens, o Crédito Pessoal apresenta diversas, entre as quais, a exigência de poucas garantias, a maior rapidez e facilidade em obter dinheiro em pouco tempo (poucas e breves burocracias), a obtenção online, a flexibilidade de utilização, a flexibilidade dos prazos de pagamento ou a possibilidade de, mais tarde, aumentar a quantia pedida.

No entanto, o Crédito Pessoal tem também algumas desvantagens, como as taxas de juros elevadas (podem chegar aos 30% em troca do empréstimo de um montante mais reduzido), o fácil endividamento ao acumular vários créditos, as elevadas penalizações em caso de incumprimento, para além dos elevados custos de contrato.

O Crédito Consolidado

Já o Crédito Consolidado é uma solução que tem vindo a ganhar, cada vez mais, popularidade junto das famílias, sendo a sua finalidade permitir a redução das prestações com créditos.

Esta modalidade consiste, então, na junção de todos os créditos num único (mesmo que sejam de diferentes bancos), tornando assim as condições mais competitivas. Ou seja, uma vez que permite ao devedor pagar uma mensalidade mais baixa e reduzir, assim, as despesas financeiras mensais do orçamento familiar.

Isto sucede porque os prazos de pagamento são alargados no Crédito Consolidado, o que faz com que o consumidor passe a pagar apenas uma prestação, sempre abaixo da soma das prestações de todos os créditos.

Uma das diferenças entre Crédito Consolidado e Crédito Pessoal reside no facto de a entidade que disponibiliza o primeiro crédito comprar as dívidas do cliente às respetivas entidades, passando este a pagar apenas uma mensalidade a um único credor. No entanto, a dívida total acaba por aumentar devido à agregação de todos os créditos e ao valor cobrado pela prestação do serviço.

Esta é uma boa solução para clientes com empréstimos pessoais e cartões de crédito. Crédito Consolidado com hipoteca e Crédito Consolidado sem hipoteca são as duas modalidades existentes.

Em resumo, o Crédito Consolidado é uma boa opção para pessoas que têm vários empréstimos pessoais e não têm qualquer folga financeira mensal. Pessoas em risco de sobre-endividamento, sobre-endividadas ou endividadas podem também pedir o Crédito Consolidado.

Contudo, devedores com cadastro penalizado, prestações em atraso ou incidentes bancários não conseguirão obter este tipo de crédito, sendo este requisito uma das poucas semelhanças entre o Crédito Consolidado e o Crédito Pessoal.

Assim, a consolidação de créditos apresenta como principais vantagens: a redução de até 60% das mensalidades com créditos; a melhor gestão das finanças pessoais; a maior poupança; a maior comodidade e simplificação do pagamento (uma única prestação mensal com uma data fixa, feita a um único credor e sem ter de mudar de banco); o prolongado prazo de pagamento; a taxa de juro mais baixa.

Por outro lado, o Crédito Consolidado patenteia algumas desvantagens associadas, como a penalização do reembolso antecipado (se pagar antecipadamente um valor em dívida irá sofrer uma penalização), o alargamento do prazo de pagamento (apesar de ser considerado também como uma vantagem por permitir pagar menos todos os meses, o prazo de pagamento mais extenso pode ser também considerado como desvantagem) ou o aumento dos juros.

Ultima actualização: 15 outubro 2020

Partilhar