Como saber se uma pessoa interessada em arrendar o seu imóvel será um bom inquilino?

Antes de assinar um contrato de arrendamento é necessário tomar algumas precauções, de forma a estar seguro, tanto quanto possível, de que o pagamento será feito em dia, de que o seu imóvel vai ser devidamente estimado... enfim, de que tudo correrá pelo melhor!

Quando falamos em escolher a pessoa certa, referimo-nos a questões ligadas à honestidade e ao cumprimento do contrato. Por lei, a discriminação de pessoas em função da nacionalidade, nascimento, sexo, orientação sexual, idade, religião, raça, origem étnica, incapacidade física, entre outras características pessoais e sociais - é proibido!

Será que é um bom pagador?

Uma coisa é certa, por vezes as aparências enganam!

Para tentar perceber se o seu futuro inquilino é confiável a este nível deve pedir-lhe referências e verificar, junto das mesmas, comportamentos antecedentes, fazer um levantamento do cadastro do indivíduo, entre outras medidas.

Siga as nossas dicas:

 

  • Faça uma pré-seleção dos interessados.

Antes até de agendar visitas para dar a conhecer o seu imóvel, faça uma “triagem” pelo telefone.

Na chamada será percetível se um potencial interessado não encaixa no perfil do seu público alvo. Isto pode acontecer por várias razões.

Sendo assim estará a poupar o tempo de ambos, evitando avançar para fases de maior envolvimento entre as partes.

Faça algumas perguntas questionando a existência de animais de estimação, se os moradores serão ou não fumadores

Por outro lado, responda às questões que lhe são colocadas, honestamente.

 

  • Tente perceber como é o estilo de vida do interessado

A pessoa combina com o imóvel, prédio, condomínio? Se o seu futuro inquilino é mais idoso pode não dar-se bem se o restante prédio for residência de estudantes.

 

  • Faça uma pesquisa do perfil do inquilino na internet e nas redes sociais.

 

  • Questione quantas pessoas (adultos e crianças) vão morar no apartamento

Se tem animais de estimação e qual o tamanho destes

 

  • Agende uma visita ao imóvel e faca uma entrevista presencial

Durante a visita pode aproveitar para questionar o seu cliente e retirar dúvidas, bem como analisar o seu comportamento.

 

  • Proponha o preenchimento de uma ficha

Crie um documento com uma série de parâmetros para preencher acerca do futuro inquilino

- Nome

- Data de nascimento

- Identificação

- Morada

- Situação profissional (empregado? Onde? Há quanto tempo? )

- Histórico de trabalho

- Finanças (estáveis ou não?)

- Renda paga atualmente (lembre-se que o valor da renda não deve exceder 30% do valor auferido mensalmente)

Através das diferentes fichas ser-lhe-á mais fácil ter uma visão geral e alargada dos possíveis compradores e inclusive compará-los entre si.

Por forma a comprovar as informações facultadas, peça os seguintes documentos ao seu futuro inquilino:

- Cópia do contrato de trabalho

- Atestado de residência;

- Cartão de cidadão ou BI+ número de identificação fiscal (NIF);

- Cópia da última declaração de IRS (para conhecer a taxa de esforço)

- Cópia dos dois últimos recibos de vencimento

 

  • Peça referências.

De senhorios anteriores e do trabalho por exemplo.

Pode acrescentar esta informação, ou seja, estes contactos na ficha de cliente.

Pergunte nome é contacto de pelo menos 3 referências.

 

  • Pedir adiantamento da renda, solicitar um fiador ou exigir uma caução: É valido?

Qualquer uma das opções funciona como garantia de pagamento e conservação do imóvel, permitindo-lhe uma maior segurança.

No entanto, estas exigências podem representar um “custo” demasiado elevado para potenciais inquilinos, tornando-se um entrave ao negócio.

Desta forma, procure avaliar o melhor possível a situação financeira do inquilino antes de optar por estas hipóteses.

 

A confiança é a chave do negócio.