Barómetro.Preços das casas em julho de 2022: venda e arrendamento

28 julho 2022

De IMOVIRTUAL

Barómetro.Preços das casas em julho de 2022: venda e arrendamento

Barómetro. Preços das casas em julho de 2022: venda e arrendamento

Não é impressão sua: as casas estão mais caras. Relativamente aos valores de 2021, houve uma subida acentuada nos preços de venda e de arrendamento dos imóveis. Vamos conhecer os valores do mercado imobiliário em Portugal, em julho de 2022. 

Quanto custa uma casa em Portugal?

Continuamos a assistir estabilização do mercado quando analisamos a variação mensal, o mesmo se verifica de junho para julho. De facto, houve até um ligeiro crescimento do valor médio dos imóveis de 2%, passando de uma média de 393.542€ para 401.312€.

Os três distritos onde as casas são mais caras são: Lisboa, Faro e Região Autónoma da Madeira. Por oposição, os distritos onde pode comprar as casas mais baratas são: Guarda, Portalegre e Castelo Branco.

De junho para julho, o distrito que registou um maior aumento no preço das casas foi Évora (+13,5%, de 226.965€ para 257.679€).

Em Coimbra e na Guarda assistimos a uma estabilização na ordem dos -0,7% e -0,6%, fixando-se nos seguintes valores respectivamente: 197.721€ e 107.018€.

Veja na tabela abaixo, os valores médios e percentuais - e ainda os comparativos entre junho e julho e variação com período homólogo de 2021 - em todos os distritos de Portugal.

Quanto custa arrendar uma casa?

Se no mês de junho assistimos a um decréscimo dos preços, este mês o panorama é diferente. Em julho registou-se um crescimento de +2,2%, passando de 1.289€ em junho para 1.317€ em julho.

No mercado de arrendamento os distritos com valores médios mais elevados são: Lisboa, Faro e Porto. Se está a perguntar-se onde se podem arrendar as casas mais baratas em Portugal, a resposta é: Portalegre, Vila Real e Bragança

Arrendar uma casa na Vila Real e Castelo Branco aumentou 18,7% e 8,7% respetivamente, fixando-se os preços médios em 438€ e 685€.

Em contrapartida, como pode ver na tabela abaixo, Beja, Évora e Bragança apresentaram as maiores quedas de preço percentual dos imóveis: -18,8%, -15,4% e -13,4%, respetivamente. 

Variação Anual: Junho 2022 vs Junho 2021

Relativamente ao preço das casas para venda, a nível nacional, verifica-se uma subida de 7,9%, os valores anunciados no Imovirtual em 2021 tinham um valor médio de 371.880€, contra o valor de 401.312€ que se verifica atualmente. 

Comparando com valores de 2021, os distritos que registaram um maior aumento no preço das casas foram a Região Autónoma da Madeira (+23%, de 354.603€ para 448.592€), Setúbal (+22%, de 303.688€ para 370.412€), Faro (+17,2%, de 478.283€ para 560.658€) e Braga (+15%, de 242.973€ para 279.457€).

Évora (-9,8%, de 285.811€ para 257.679€), Portalegre (-5,5%, de 125.462€ para 118.620€) e Guarda (-5,4%, de 113.090€ para 107.018€) registaram a maior queda de preços de um ano para o outro.

Relativamente ao preço das casas para arrendar, a nível nacional, verifica-se uma subida significativa de 30,1%, os valores anunciados no Imovirtual em 2021 tinham um valor médio de 1.012€, contra o valor de 1.317€ que se verifica atualmente. 

Arrendar uma casa na Vila Real e , Castelo e Branco aumentou uns impressionantes 68,6% , 66,3% e 65,1% respetivamente.

Se quer saber onde pode encontrar as casas mais baratas para arrendar saiba que o único distrito que registou uma quebra percentual foi Vila Real com -15,9%, onde a renda média passou de 521€ para 438€.

Ultima actualização: 29 julho 2022

Partilhar