Voltar à listaTerreno para comprar
Setúbal
Montijo
Montijo e Afonsoeiro
Rua Cidade de Aveiro
Quer construir a seu gosto? Lote para Moradia em banda T3,garagem e mu
Quer construir a seu gosto? Lote para Moradia em banda T3,garagem e mu

Quer construir a seu gosto? Lote para Moradia em banda T3,garagem e mu

66 000 €
Rua Cidade de Aveiro , Montijo e Afonsoeiro, Montijo
330 €/m²

Acompanhamento Virtual

Video

Propriedades

Área de terreno (m²):
200 m²

Descrição

No centro do Montijo, inserido numa zona nobre da cidade, com todos os serviços, escolas e jardim.
Este magnifico terreno para construção de moradia com 156m2 que permite uma área de implantação de 100m2 para uma área de construção de 199,5m2.
Com projecto já feito para três quartos, um deles suite com vestiário, projectados para o 1º andar, ficando o r/c destinado à cozinha , sala , casa de banho social e hall de entrada. Cozinha e sala muito bem dimensionadas. o terceiro piso fica destinado a arrumações ou outra utilização mais conveniente. No exterior fica a garagem e zona lazer.
Zona residencial agradável e calma com acesso fácil e direto, com o rio por perto.
Um lugar muito aprazível para viver.
Venha conhecer.

Contacte-me e fique a saber como posso ajudar!

Montijo tem a sua história intimamente ligada ao Rio Tejo, pois grande parte da sua área geográfica é delimitada pelo mesmo. A presença humana fez-se sentir naquela região desde muito cedo (pelo menos desde o Paleolítico, segundo vestígios arqueológicos encontrados), devido, muito provavelmente, às excelentes condições naturais.
Nos alvores da nacionalidade (século XII), os coutos e herdades que existiam na atual área do concelho de Montijo foram doados por D. Sancho I, em 1186, aos Cavaleiros da Ordem de Santiago. Mais tarde, por aqui passaria D. Paio Peres Correia, Mestre daquela Ordem.
O núcleo populacional, habitado principalmente por pescadores e salineiros, muitos deles vindos das Rías Galegas e do litoral norte de Portugal (fruto do processo de repovoamento decorrente da reconquista cristã), começou a desenvolver-se desde que, na menoridade de D. Afonso V, o regente D. Pedro e o Mestre da Ordem de Santiago, o infante D. João, ambos tios do monarca, mandaram desassorear o esteiro de Alhos Vedros, construindo para o efeito uma estacada.
Em 1385, D. João I confirma os privilégios dados por D. Sancho. Mais tarde, em 1445, por carta régia de D. Afonso V, os coutos e terras de Aldeia Gallega são afetos ao património da rainha D. Isabel de Avis.
No primeiro quartel do século XIV, os agricultores e fazendeiros de Aldeia Gallega, sob a proteção da Ordem de Santiago, erguem a Ermida de São Sebastião, que terá sido matriz da localidade até à construção da Igreja do Divino Espírito Santo, no século XVI.
Em março de 1498 D. Manuel I parte para Toledo a fim de ser jurado príncipe herdeiro de Castela e Leão, ao passar por Aldeia Gallega e ouvir as suas gentes, ordena a construção de um poço público junto à velha Albergaria, onde funcionava o Hospital da Caridade.
O mesmo rei D. Manuel outorgou foral à vila a 15 de setembro de 1514, desanexando-a da antiga freguesia de Santa Maria de Sabonha. No ano seguinte, a 17 de janeiro de 1515, renovou o foral, num diploma único para as duas vilas de Aldeia Gallega do Ribatejo e Alcochete.
Em 1520 é fundada a Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Gallega do Ribatejo e, em 1571, por carta régia de D. Sebastião, é construída a Igreja da Misericórdia (classificada em 2009 como Imóvel de Interesse Público pelo IPPAR)
O correio-mor, D. Luís Afonso, fez de Aldeia Gallega do Ribatejo, em 1533, a sede da Posta nas comunicações com o Sul de Portugal, e iniciam-se os trabalhos de melhoramentos e arranjos da Estrada Real (atual Estrada Nacional 4) que liga Lisboa a Badajoz, tornando a povoação ponto de passagem obrigatória para quem se dirigia à capital do Reino ou dela provinha. Desta forma a vila conheceu grande desenvolvimento e abastança, em particular durante a dinastia filipina, dado o crescente tráfego entre Lisboa, Toledo, Madrid e restante Espanha. Também do período filipino é a aprovação da Irmandade de Nossa Senhora da Conceição, em 1608, constituída por mareantes; bem como obras e melhoramentos na Igreja Matriz e na Vila.

Mapa

Relatório de preços praticados

Terrains, Montijo e Afonsoeiro

Baseado nos preços dos anúncios activos no Imovirtual

Mais anúncios de Century21 Contacto Directo