Logo
Voltar
Trespasses para comprar
Lisboa (distrito)
Lisboa
Avenidas Novas
Trespasse de Restaurante-Bar

Trespasse de Restaurante-Bar

65 000 €
Avenidas Novas, Lisboa
1 327 €/m²
Trespasse de Restaurante-Bar

Acompanhamento Virtual

Video

Propriedades

Área (m²):
49 m²
Condição:
Usado
Certificado Energético:
D

Descrição

Restaurante totalmente equipado e em localização prime entre hotéis, alojamentos locais, embaixadas, El Corte Inglês, em zona residencial com muita densidade e servida por três linhas do metrô.

Está totalmente equipado e licenciado para funcionar entre as 07:00h e as 02:00h, com uso de esplanada, lugares ao balcão e uma sala de refeições.

Tem extração de fumos com conduta independente, cozinha totalmente equipada, sistema de facturação, TVs, balcão frigorífico, sistema de segurança e vídeovigilância, cavalete de menus e toldo.

O espaço passou por obras profundas, incluindo isolamento acústico. As redes hidráulica e elétrica foram refeitas.

Trespasse 65.000 €, Renda 995€.


Localização:

Resultado da reforma administrativa de 2012, nasce na cidade de Lisboa a freguesia de Avenidas Novas, a qual agregou as freguesias de S. Sebastião da Pedreira, Nossa Senhora de Fátima e parte da freguesia de Campolide.

A origem do nome Avenidas Novas surge, no final do século XIX, com a reestruturação do território executada por Ressano Garcia, em que se destacam as ruas largas e as fachadas com logradouros ajardinados, características da Arte Nova e Art Déco. Esta renovação urbana foi inspirada no Plano de Extensão de Paris, concretizado por Georges-Eugène Haussmann, a que Ressano Garcia assistiu enquanto estudante na capital francesa.

Com uma área de 2,92 km2 e mais de 23 000 habitantes, a Freguesia de Avenidas Novas apresenta uma configuração de ruas que se entrecruzam de forma perpendicular criando quarteirões quadrados. As avenidas principais que lhe deram o nome iniciam -se na Rotunda do Marquês de Pombal com o Parque Eduardo VII e a Rua Fontes Pereira de Melo, passando pela rotunda de Picoas e seguindo em direção ao Jardim do Campo Grande, pela Avenida da Republica e suas ruas adjacentes.

Os primeiros vestígios da ocupação humana no território que agora pertence às Avenidas Novas remontam aos anos 50 d.C., dos quais datam alguns objetos de sílex e cerâmica descobertos entre a Avenida 5 de Outubro e a Avenida das Forças Armadas. Era pela Avenida da República que os romanos faziam chegar à metrópole os produtos criados nas zonas rurais, através de uma estrada que ligava Torres Vedras a Loures e daí a Lisboa.

Em 1180 nasce o Bairro Santos ao Rego, que deriva da expansão dos campos que o rodeavam. O nome Rego tem origem num regato (ribeiro) que nascia no Campo Pequeno em direção a Palhavã e que atravessava a zona do Bairro.

Em 1755, depois do terramoto seguido de marmoto que assolou Lisboa, muitos dos habitantes da capital, assustados com a destruição e com possíveis réplicas da catástrofe, fugiram da parte baixa da cidade, e fixaram-se no território que hoje compõe a freguesia de Avenidas Novas que sofreu, à data, um enorme crescimento demográfico.

Mais de um século depois, em 1888, Ressano Garcia redesenhou a estrutura urbanística, procedendo ao alargamento das ruas e avenidas, acompanhando toda a reestruturação com uma forte componente ambiental: a plantação de choupos, acácias do Japão, faias, ailantos, acácias brancas, entre outras espécies.

Surgem também por esta altura as moradias unifamiliares, de fachadas ecléticas, no estilo Arte Nova e Art Deco, ocupados sobretudo por uma classe média, classe média-alta e alta em expansão. O Parque da Liberdade (atual Parque Eduardo VII de Inglaterra) já constava do projeto final de Ressano Garcia, aprovado em 1889, apesar de, a sua atual configuração ter sido projetada pelo arquiteto Francisco Keil do Amaral já na década de 40 do século XX.

Nos finais do século XIX, mais precisamente em 1890, a construção da Linha Férrea de Cintura, onde se integrava a estação Rego-Lisboa, fomentou ainda mais o crescimento e desenvolvimento das Avenidas Novas.

A freguesia de Avenidas Novas é hoje um dos centros de negócio estratégico na cidade, e tem no seu território universidades, embaixadas, museus e duas das maiores salas de espetáculo de Lisboa.
Categoria Energética: D

Mapa

Relatório de preços praticados

Goodwill, Avenidas Novas

Baseado nos preços dos anúncios activos no Imovirtual

Mais anúncios de Habita | o seu parceiro imobiliário.