Logo
Voltar
Apartamento para comprar
Setúbal (distrito)
Setúbal
São Sebastião
Moderno apartamento T2 , Novo, com terreaço e arrecadação
Moderno apartamento T2 , Novo, com terreaço e arrecadação

Moderno apartamento T2 , Novo, com terreaço e arrecadação

199 000 €
São Sebastião, Setúbal
1 990 €/m²

Acompanhamento Virtual

Video

Propriedades

Área útil (m²):
100 m²
Área bruta (m²):
117 m²
Empreendimento:
não
Tipologia:
T2
Ano de construção:
2021
Casas de Banho:
2

Descrição

Começar o dia com uma corrida ou um simples passeio tendo o estuário do Sado como pano de fundo, Troia e a Serra seguido por revigorante pequeno almoço no agradável terraço de 30m2 é o que este apartamento proporciona.
Numa construção em fase de acabamentos, em prédio de 3ºandar este é um apartamento no segundo andar com uma construção moderna e de qualidade com divisões bem dimensionadas que oferece um magnífico terraço de 30m2 e arrecadação.
Com alumínios de qualidade, vidros duplos, estores elétricos, cozinha equipada, pleno de luz, numa zona tranquila, com facilidade de estacionamento, com rápido acesso ao centro comercial da cidade tal como à autoestrada ou ao hospital, tem comércio e serviços nas imediações e uma localiza insuspeita.
Setúbal é uma cidade portuguesa, capital do distrito de Setúbal (desde 1926) e sede de diocese (desde 1975), com 91 000 habitantes no seu perímetro urbano.[1]
É sede do município de Setúbal[2] com 230,33 km² de área[3] e 116 330 habitantes (2017),[4][5] subdividido em 5 freguesias.[2] O município é limitado a oeste pelo município de Sesimbra, a noroeste pelo Barreiro, a norte e leste por Palmela e, a sul, o estuário do Sado separa-o dos municípios de Alcácer do Sal e Grândola.
A península de Troia, pertencente ao município de Grândola, situa-se em frente da cidade de Setúbal, entre o estuário do Sado e o litoral do Oceano Atlântico.
topónimo 'Setúbal' deriva do termo romanizado 'Cetóbriga' (Ceto + designação celta briga para povoação).
Segundo alguns autores (como José Hermano Saraiva), a exemplo de outras cidades ibéricas e do sul da Europa, o topónimo 'Setúbal' pode estar relacionado com o hidrónimo do rio (Sado ou Sadão) que banha a povoação, referido pelo geógrafo árabe Dreses como Xetubre. E, neste caso de o topónimo Setúbal estar relacionado com o hidrónimo, a sua origem pode estar na palavra Ketovion, como sugere Montexano.[6] Flávio Josefo, na História dos Hebreus, relaciona-o a um dos povos iberos,[7].
Uma outra tese, fantasiosa, diz que o nome da cidade resultou da cisão de dois nomes bíblicos: Sete (3º filho de Adão) e Tubal (neto de Noé). Esta tese foi assumida por Frei Bernardo de Brito no tomo I da Monarquia Lusitana.[8]; [9]
Do Neolítico à Reconquista cristã
Setúbal nasceu do rio e do mar. Os registos de ocupação humana no território do concelho remontam à pré-história, tendo sido recolhidos, em vários locais, numerosos vestígios desde o Neolítico. Foi visitada por fenícios, gregos e cartagineses, que vinham à Ibéria em procura do sal e do estanho, nomeadamente a Alcácer do Sal, povoação até à qual o rio era então navegável.
Durante a ocupação romana, Setúbal experimentou um enorme desenvolvimento. Os romanos instalaram na povoação fábricas de salga de peixe e fornos para cerâmica, que igualmente desenvolveram.
A queda do império romano, as invasões bárbaras e a constante pirataria de cabotagem causaram a estagnação, senão mesmo o desaparecimento, da povoação entre os séculos VI e XII. Nomeadamente neste último século, não existem quaisquer registos da povoação, ‘entalada’ entre a Palmela cristã e a Alcácer do Sal árabe.
Da Reconquista cristã aos finais do séc. XVI
Alcácer do Sal foi reconquistada pelos cristãos em 1217. Quanto à povoação de Setúbal, foi incorporada e passou a beneficiar da protecção da Ordem de Santiago, momento a partir do qual voltou a prosperar.
Em Março de 1249, Setúbal recebeu foral, concedido pela Ordem de Santiago, senhora desta região, e subscrito por D. Paio Peres Correia, Mestre da Ordem de Santiago, e por Gonçalo Peres, comendador de Mértola.[10][11]
Durante os vários séculos de apagamento da povoação de Setúbal, Palmela e Alcácer do Sal cresceram em habitantes e importância militar, económica e geográfica, fazendo sucessivas incursões no termo de Setúbal, ocupando-o.
Na primeira metade do século XIV a povoação de Setúbal, com uma extensão territorial relativamente diminuta, teve de afirmar-se, lutando com os concelhos vizinhos de Palmela

Características

  • Pré-instalação de ar condicionado
  • Estores Eléctricos
  • Termoacumulador
  • Elevador
  • Porta Blindada
  • Gás Canalizado
  • Kitchenette
  • Terraço
  • Armário

Mapa

Relatório de preços praticados

Apartments T2, São Sebastião

Baseado nos preços dos anúncios activos no Imovirtual

Mais anúncios de Century21 Contacto Directo