Logo
Voltar à lista
Loja para comprar
Setúbal
Moita
Baixa da Banheira e Vale da Amoreira
Rua do Alentejo
Loja, zona comercial da Baixa da Banheira, c/armazém + garagem na cave
Loja, zona comercial da Baixa da Banheira, c/armazém + garagem na cave

Loja, zona comercial da Baixa da Banheira, c/armazém + garagem na cave

125 000 €
Rua do Alentejo, Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Moita, Setúbal
781 €/m²

Propriedades

Área útil (m²):
160 m²
Área bruta (m²):
170 m²
Empreendimento:
não
Condição:
Usado
Tipo:
Loja
Pisos:
2

Descrição

Esta é uma loja na zona comercial da Baixa da Banheira que funcionava como loja de roupa. Com cerca de 80m2, montra ampla a toda altura da parede, gradeamento de proteção, dispõe de vestiário e duas casas de banho. Na cave, que tem acesso pelo interior da loja, funciona a zona de armazém sendo que tem zona de garagem com entrada pelas traseiras do prédio possibilitando todo o facilitar das manobras de carga e descarga sem constrangimentos de trânsito.

Dispõe de ar condicionado e vídeo vigilância.

POSSIBILIDADE DE PERMUTA

As origens do seu nome e alguma História:

i"Sítio da Banheira, Lugar da Banheira, Terras Baixas da Banheira do Tejo são apenas algumas das designações que ao longo dos tempos é possível, através de registos diversos das épocas, referenciar a localização da atual Baixa da Banheira.
Na verdade, e reportando-se a primeira referência conhecida ao século XIV, o nome da localidade não foi encontrado ou inventado a partir do nada ou por qualquer recente decisão. Assim, Baixa da Banheira é um nome com origens muito antigas e a nossa terra será conhecida através dele e cabe a todos os banheirenses prestigiá-lo e fazer com que cada vez mais pessoas, quando se referem à Baixa da Banheira o liguem a uma terra agradável onde se vive bem e a sua melhor riqueza são as pessoas."

Em termos de história recente a Baixa da Banheira começou praticamente nos anos 30/40 (mais concretamente em 1935 com a construção duma casa na zona que é hoje a Estrada Nacional, no seu inicio a sul...)com a chegada de muitas famílias oriundas principalmente do Algarve, Alentejo, Trás-os-Montes e Beira Baixa (uma comunidade muito grande de S. Pedro do Sul) que procuravam trabalho nas unidades Fabris da região, como por exemplo a CP, a CUF, a Siderurgia Nacional, a Indústria Naval (Lisnave e Setenave) e as Fabricas corticeiras, que abundavam na época por todo o concelho da Moita.

Foi devido á sua grande e rápida expansão e á fixação de centenas de famílias, que juntamente com a Amadora, foi-lhe instituído a designação de "Bairro Administrativo", sendo um pronuncio de futura criação de freguesia. Nessa altura (50/60) era pertença 'da freguesia de Alhos Vedros, sendo "disputada" pelo vizinho Barreiro, que sempre sustentou que devido a proximidade e á um conjunto de afinidades com a Baixa da Banheira,(tais como o facto dos transportes coletivos terminarem as carreiras na fronteira concelhia, da maioria da população trabalhar no Barreiro e também de fazerem a sua vida social nos seus cinemas e nas suas inúmeras coletividades) esta lhe deveria "pertencer". Já nessa altura apresentava a maior densidade populacional do pais, com cerca de 6000 pessoas numa área de apenas 4 km2, dando origem por esse motivo, a uma das nomenclaturas menos abonatórias mas mais ouvidas, para caracterizar a terra: o "Xangai"..

A freguesia da Baixa da Banheira foi então criada a 26 de Janeiro de 1967, pelo Decreto-Lei n.º 47.513 do então Ministério do Interior, sendo a sua importância de 1ª ordem. Começa-se a desenvolver um grande trabalho na área do desporto e do associativismo, e a formação de varias coletividades é um facto. Assim, nascem entre outras (pelas designações mais populares): o "Ginásio Atlético Clube" (Ginásio), O "Chinquilho", "Os Leais", "O Real", "0 Racing" (mais tarde na década de 80 unem-se estes 3 últimos na "União Desportiva e Cultural Banheirense"), o "Banheirense", os "Alentejanos", o "Juventude", A "Sociedade da Baixa da Serra", o "Grupo Columbúfilo", o "Clube Náutico da Barra-á-Barra", os núcleos do Sporting e do Barreirense, entre outros tais como a "Associação de Geminação" (A vila da Baixa da Banheira é geminada com a localidade Francesa de Ville Plaisir, a Norte de Paris), a Associação de Atletismo, Associação de de Ciclismo, etc. Estas coletividades empenham-se em que o maior numero de modalidades e catividades sejam praticadas, desde o Futebol, ao Andebol, Basquetebol, Voleibol, Natação, Halterofilismo, Luta Greco-Romana, Ciclismo, Xadrez, Atletismo, Judo, Ballet, entre outros, sendo de destacar a prestação de inúmeros atletas, que conseguiram até lugares cimeiros em campeonatos nacionais e internacionais, á custa de muito esforço e dedicação, com os parcos apoios de que dispunham, sendo a quase totalidade trabalhadores/atletas. Também nessas coletividades nasce um pouco o habito dos bailes que é durante muito tempo o principal atrativo das camadas mais jovens da terra.

A fim de dar voz aos fieis existentes na terra, a diocese de Setúbal, manda erguer a Igreja da Baixa da Banheira e é escolhido para Padroeiro da Baixa da Banheira, a figura de S. José Operário. Nas datas do calendário religioso são muito frequentes as procissões. No âmbito da Igreja é criado na terra o agrupamento 371 do Corpo Nacional de Escutas. É também erguido um cinema, o "Cine Parque" para colmatar a falta de espaços para o efeito (até á sua criação, eram projetado filmes em esplanadas e auditórios improvisados, como a celebre "Esplanada do Chinquilho". O Teatro, é mais tarde muito celebrizado nas diversas coletividades, especialmente após o 25 de Abril de 1974, com varias peças de cariz politico espelhando um pouco por toda a parte, os acontecimentos da época. Com o evento da democracia e a formação dos partidos políticos, são também criadas sedes de praticamente todas as forças partidárias existentes. Nascem também as comissões de moradores, mais tarde transformadas em Associações de moradores da Zona Sul e da Zona Norte, a Associação de Dadores de Sangue, o Movimento Democrático das Mulheres, Cooperativas de consumo e de habitação e Grupos de Futebol de bairro.

Continuando o seu crescimento e desenvolvimento quer a nível dos serviços e das infraestruturas, quer a nível populacional, a Baixa da Banheira foi elevada à categoria de Vila em 28 de Junho de 1984 através da Lei n.º 17/84. Nessa altura, foi criada a freguesia do Vale da Amoreira, que "levou" cerca de 20000 habitantes, outrora "pertença" da Baixa da Banheira, maioritariamente emigrantes das ex-colónias e muitos portugueses dai provenientes, que compunham na sua grande maioria o bairro do Vale da Amoreira.

Hoje, a sua população já começa a ter também outras origens e os netos das gerações pioneiras foram-se fixando e constituem parte da malha populacional. Com o encerramento de algumas das unidades fabris citadas e a reconversão de outras, a área de trabalho alarga-se designadamente ás zonas de serviços da grande Lisboa, donde muita da população também começa a migrar para fazerem parte da nossa terra. A Associação dos Paraquedistas do Sul cria aqui a sua sede, são criadas a Casa do Benfica e o Núcleo do Sporting e nasce um jornal local "A Voz da Vila" que se mantem ativo, e posteriormente outro jornal local de âmbito concelhio, de seu nome "O Rio". Enquanto não se constrói o tão ambicionado Centro de Dia e Lazer para os Reformados, estes associam-se havendo já 3 associações: a Associação de Reformados e Idosos "O Norte", o Centro de Convívio de Reformados e Idosos da Baixa da Banheira e com uma media de idades um pouco mais nova, a Velha Guarda Banheirense.

Há um Centro de Saúde, 5 farmácias, cerca de 10 Creches/Jardins Escola, 7 Escolas básicas (5 para o 1º ciclo e 2 para os 2º e 3º ciclos), 1 escola Secundária (em conjunto com o Vale da Amoreira), Serviços Municipalizados de varia ordem, Notários, Conservatórias de Registo Civil, 2 mercados municipais (praças), Um Depósito de Captação e Abastecimento de água próprio (com a particularidade de ser a 3ª melhor agua potável canalizada de Portugal, facto que muita gente desconhece), um enorme parque ribeirinho (um dos maiores do pais) com áreas de lazer, parque de piqueniques, piscinas, campos de ténis, fossos de skate, pista de bicross e campos polidesportivos, Apeadeiro de comboio da CP da Linha do Sado, Transportes Rodoviários vários (Transportes Coletivos do Barreiro, Transportes Sul do Tejo, Setubalense), Praças de Táxis, acessos fáceis à rede viária , nomeadamente ás Autoestradas para Lisboa e Setúbal, fácil acesso á Rede Fluvial para Lisboa e ao Comboio para o Sul do Pais, grande número de superfícies comerciais e de serviços vários (dos grandes espaços ao comercio tradicional), inúmeros bancos, companhias de seguros e agencias mediadoras, boa rede de comunicações com grande destaque para a utilização do cabo em toda a freguesia, entre muitas mais coisas, que fazem desta vila, uma terra em evolução. É por isso que é já uma revindicação dos habitantes da Baixa da Banheira, a passagem á categoria de Cidade num futuro próximo.

Características

  • Alarme
  • Ar Condicionado
  • Armazém
  • Com WC
  • Montra
  • Video Vigilância

Mapa

Relatório de preços praticados

Stores, Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

Baseado nos preços dos anúncios activos no Imovirtual

Mais anúncios de Paula Trovão - Century21 Contacto Directo