Logo
Voltar
Apartamento para comprar
Ilha da Madeira
Santa Cruz
Caniço
Apartamento T1 Situado Rua da Olaria, Bl A, Caniço, Santa Cruz

Apartamento T1 Situado Rua da Olaria, Bl A, Caniço, Santa Cruz

107 500 €
Caniço, Santa Cruz, Ilha da Madeira
2 150 €/m²
Apartamento T1  Situado Rua da Olaria, Bl A, Caniço, Santa Cruz

Propriedades

Área útil (m²):
50 m²
Área bruta (m²):
50 m²
Empreendimento:
não
Tipologia:
T1
Casas de Banho:
1
Certificado Energético:
D
Condição:
Usado

Descrição


Localizado numa zona nobre do Garajau - Edifício Falésias do Garajau.
Apartamento tipologia T1, à venda na Rua da Olaria, Bl A - Caniço, Santa Cruz .
com elevador, tem duas varandas com vista mar desafogada.
Em excelente estado de conservação. Pronto a habitar. Escritura imediata.
Dispõe de um lugar de estacionamento e de uma arrecadação na garagem do prédio.
Em edifício bem conservado, próximo aos imensos serviços oferecidos pela recta do Garajau.

Características:
Sala com acesso à varanda;
Cozinha e lavandaria com acesso á varanda,
Wc com banheira;
Quarto com roupeiros;

Características específicas
60 m² construídos, 50 m² úteis
Casa apta a ser utilizada por pessoas com mobilidade reduzida
2º andar com elevador
1 casa de banho
Varanda
Armários embutidos
Arrecadação
Zonas verdes

O Caniço é uma cidade e freguesia portuguesa do concelho de Santa Cruz, na ilha da Madeira.
No Caniço, localiza-se a estátua do Coração de Jesus, mais conhecida por Cristo Rei, na ponta do Garajau.
A denominação da povoação vem do nome dado à planta Phragmites communis, vulgarmente chamada de carriço ou caniço, que existia abundantemente na zona à altura da descoberta da ilha da Madeira.
Fora do Funchal e de Machico, o Caniço foi um dos dez primeiros lugares criados e povoados e, desde cedo, se procedeu ao arroteamento e cultivo das terras.
Aquando da colonização, foi feita a divisão da ilha em duas capitanias, passando a linha divisória pela localidade do Caniço. Com efeito, a ribeira do Caniço constituía parte dessa linha, que partia da ponta da Oliveira e terminava na ponta do Tristão, no Porto Moniz.
A Paróquia do Caniço foi fundada em 1438 ou 1440, sendo uma das mais antigas da ilha, e era constituída, a princípio, por duas igrejas. Uma na margem direita da ribeira, que tinha como orago o Espírito Santo, e outra na margem esquerda, a de Santo Antão. Com o tempo, a igreja de Santo Antão foi ganhando primazia em relação à outra. Em 1778, já as duas se encontravam em ruína e, em 1783, foi inaugurada a atual igreja paroquial do Caniço, cuja torre é mais recente e foi concluída em 1874.
Os terrenos na margem direita da ribeira denominavam-se Caniço de Baixo para o Funchal e, mais tarde, Caniço de Baixo para a Cidade e pertenciam à capitania-donatária do Funchal, enquanto que os que ficavam na margem esquerda chamavam-se Caniço de Cima para Machico e pertenciam à capitania de Machico. Cada um dos sítios tinha o seu porto de mar, respetivamente, o dos Reis Magos, o mais antigo, e o do Portinho.
Existia aqui um tabelião privativo, do qual existem registos desde 1488.
Consta que o primeiro moinho que houve na Madeira, foi construído no Caniço, no sítio da Azenha, ainda em tempo de vida de João Gonçalves Zarco (c. 13901471).
Em 1676, a freguesia da Camacha desmembrou-se do Caniço.
Até 1835, a freguesia pertenceu ao concelho do Funchal e, nesse ano, foi incorporada no concelho de Santa Cruz.
Em 19 de abril de 2000, a povoação do Caniço foi elevada a vila pelo Decreto Legislativo Regional n.º 10/2000/M, onde se pode ler, no preâmbulo: «A povoação do Caniço tornou-se no maior pólo de desenvolvimento turístico da Região Autónoma da Madeira, depois do Funchal, e é uma das zonas habitacionais mais apetecidas.
Em 10 de junho de 2005, a vila do Caniço foi elevada a cidade pelo Decreto Legislativo Regional n.º 8/2005/M, que a caracteriza, no preâmbulo, como um dos maiores pólos de concentração de indústria e comércio regionais e uma das zonas habitacionais mais procuradas.
Do património edificado do Caniço, constam a estátua do Coração de Jesus (Cristo Rei), na ponta do Garajau, o Forte da Atalaia de São Sebastião (de início do século XVII) e o Forte dos Reis Magos (construído no século XVIII com o propósito de defender a Ilha da Madeira de ataques de piratas e corsários).Outros elementos culturais, classificados como imóveis de interesse público e local, são a Capela da Mãe de Deus, a Capela da Nossa Senhora da Consolação e o conjunto edificado dos Reis Magos.
O monumento ao Coração de Jesus foi inaugurado a 30 de outubro de 1917, na ponta do Garajau, por ocasião das festas do Cristo Rei nome pelo qual é mais conhecido , em cumprimento de um voto do conselheiro Aires de Ornelas, filho do último morgado do Caniço.
O Teleférico do Garajau, inaugurado em 2007, serve de transporte, para locais e turistas, de modo a se deslocarem de forma mais rápida e cómoda à Praia do Garajau e à Reserva Natural Parcial do Garajau. A viagem tem uma duração de 3 minutos, sendo possível fazer o trajeto só de descida ou subida, ou descida e subida.

Características

  • Vista de mar

Mapa

Relatório de preços praticados

Apartments T1, Caniço

Baseado nos preços dos anúncios activos no Imovirtual

Mais anúncios de Chavenova - Lisboa